Pantera Negra tem uma lição valiosa para todos os pais

Em Capitão América: Guerra Civil fomos apresentados ao T’Chaka, Rei de Wakanda, e seu filho, T’Challa. Em uma manobra do Zemo, que é uma vítima de Sokovia e quer o sangue d’Os Vingadores, ele orquestra um atentando que mata o Rei T’Chaka e faz parecer que foi o Bucky Barnes, o Soldado Invernal, o responsável.

Nesse momento T’Challa se revela como Pantera Negra e jura vingança pela morte do seu pai.

Ok, nada de novo no front. Vinganças familiares são muito usadas em enredos pois é algo visceral. Ao ver um ente querido assassinado, o sentimento de vingança é justificável. Nesse caso do Capitão América: Guerra Civil serviu para expor ao mundo o T’Challa e nos apresentar mais um herói no Universo Cinematográfico da Marvel.

Porém no filme solo do Pantera Negra temos uma camada importante da relação entre pais e filhos. Uma camada que, como pai, me tocou bastante e conseguiu me mostrar um lado importante da paternidade.

Bem, como o filme ainda é recente, aviso que pode ter spoilers e o resto do post continua depois da imagem abaixo.

No começo do filme vemos o Rei T’Chaka em Los Angeles, como Pantera Negra, conversando com o seu irmão. Fica claro nas cenas que o Pantera acaba o matando para defender uma pessoa. Porém ele tinha um sobrinho que ficou sozinho no mundo. E justamente esse sobrinho é que se torna o grande vilão do filme.

T’Challa ao descobrir isso, fica inconformado pela atitude com o pai! Ele questiona a integridade do mesmo por ter abandonado uma criança de Wakanda no mundo. Para ele, o correto era ter levado essa criança para o reino e o criado com os valores de lá.

Justo e tenho certeza que todos pensaram a mesma coisa.

Ao refletir o que ocorreu e repassando as falas dos personagens em minha mente, percebi que nós, pais, iremos fazer muitas besteiras HOJE que poderão refletir na vida dos nossos filhos AMANHÃ. Besteiras essas que eram a melhor opção para um determinado momento, porém poderá ter consequências no futuro! E querem saber? Precisa ser assim mesmo!

Meu pai cometeu algumas besteiras em sua vida que acabaram refletindo nas nossas em um determinado momento. Ao percebemos e analisarmos como as coisas poderiam ser diferentes, me tornei uma pessoa um pouco melhor que o meu pai. Seus erros, suas besteiras, me forjaram para ser um pai, um ser humano melhor. E tenho certeza que quando chegar a minha vez de cometer deslizes, meus filhos irão aprender com eles e se tornaram uma versão melhorada minha.

O que eu aprendi em Pantera Negra é que os erros dos pais são fundamentais para a educação dos filhos. São através dos erros que surgem as mais significantes lições que determinarão o caráter dos nossos Jovens Padawans. Errar, faz parte. Porém não aprender com o erro é errar duas vezes.