Site icon Nerd Pai

8 Dicas Para Montar Um E-Commerce De Sucesso Em 2021

8 Dicas Para Montar Um E-Commerce De Sucesso Em 2021 -4

Montar um e-commerce de sucesso é o novo grande sonho do empreendedor brasileiro. As vendas online estão em alta por uma série de fatores, e os empresários mais ávidos já estão com suas estratégias em prática para conquistar seu espaço.

Se você também está planejando montar um e-commerce, saiba que ainda está em tempo, mas a competição está intensa para todas as áreas. 

Para que você possa se destacar, criamos 8 dicas para te ajudar a atingir uma loja virtual de sucesso. Confira a seguir.

Por que as vendas online estão em alta?

Muito se deve a pandemia e a necessidade que temos de ficar em casa? Sim, dá sim para dizer que a pandemia intensificou o crescimento do e-commerce. No entanto, está longe de ser só isso.

Quem não gosta de ter todos os detalhes do produto que quer comprar, a opinião de várias pessoas que já o possuem e várias lojas para comparar preços? Antigamente era necessário saíssemos de loja em loja para obter informação. Isto era caro por questões de transporte, além de tomar muito tempo. Já com a internet, da sala de casa você faz tudo isso em no máximo meia hora.

A internet sempre foi uma opção bastante vantajosa, mas as pessoas possuíam medo do incerto. Também, muitas pessoas não possuíam acesso à internet, mas graças ao desenvolvimento econômico e a diminuição dos preços de planos (ou aumento da velocidade dos pacotes), hoje em dia mais de 80% dos brasileiros estão conectados.

Por fim, com um sistema de ranqueamento no Google mais exigente, dificilmente entramos em sites suspeitos, cheios de banners piscando e que abrem outras 6 janelas junto quando acessamos o endereço. As páginas são confiáveis e a internet é o novo local favorito de fazer compras pela população.

Nesse sentido, o e-commerce é atualmente a melhor forma de abrir uma loja.

8 Dicas Para Montar um E-Commerce de Sucesso

Sem mais contextualização, vamos para o que interessa: as dicas para montar um e-commerce de sucesso.

1. Especifique o nicho da sua marca

Sua marca deve ter um nicho bem definido e restrito. Por quê? Porque melhora a experiência dos usuários, lhe permite tomar melhores escolhas para o marketing da sua empresa e acaba sendo mais fácil de se destacar no mercado.

Melhora a experiência no sentido que uma vez que um usuário conhece sua marca, ele sabe o tipo de produto que você vende. Como na internet os clientes nunca chegam ao seu site por acaso, quanto mais definida sua área de atuação, mais chances da sua loja ser relevante para o visitante do seu site.

Também, referente ao marketing digital, quando você especifica um nicho fica mais fácil de estabelecer uma persona e um público-alvo ao qual você pretende atingir. Se você conhece seu cliente de perto (suas necessidades e preocupações), você pode criar produtos e apresentá-los especialmente para o seu público.

Atingindo um público-alvo que realmente se interessa pela sua proposta e sabendo como oferecer os melhores produtos a eles, não há como você não conquistar sua porção da internet.

2. Invista na Identidade Visual

Sua marca deve ser lembrada pelos seus clientes e seu site deve ser bem apresentável. Portanto, ter uma identidade visual bem definida e um site que a reflita é essencial.

Os aspectos mais importantes da identidade visual são: cores, logo, nome e slogan. Sua aparência deve soar bem para seu público-alvo, estando bastante relacionado ao nicho de escolha. Além de trazer boas sensações, sua marca deve remeter a área em que atua.

3. Encontre ótimos fornecedores para seus produtos

Esta é uma das partes mais complicadas do e-commerce (e de qualquer loja), pois fornecedores são muito mais do que as pessoas que te entregarão produtos: eles serão parceiros de longa data e muitos deles irão te apresentar novos produtos, lhe dar dicas de venda e até poderão fazer entregas para o seu cliente. Sendo assim, muito mais do que preço, aqui também é crucial obter fornecedores responsáveis, transparentes e honestos.

Planeje a logística do seu negócio: quantidade a manter em estoque, tipos de itens, em quanto tempo você precisará reabastecer estoque, quanto tempo a mercadoria deverá demorar para ser entregue a você, etc.

Depois, comece uma busca online por candidatos. Procure por palavras-chave como “fornecedor e-commerce” e “fornecedor de (nome do seu produto)” e vá a fundo. Nada de desistir de encontrar na primeira página de resultados.

Então, entre em contato e tente conhecer os fornecedores a fundo. Faça uma ligação e até visite o local caso necessário.

Outra forma de buscar é procurar por fornecedores locais, primeiramente online para descobrir onde eles estão e depois fazer uma visitinha.

Existem outras práticas que também irão manter sua agenda de contatos atualizada:

4. Seus produtos devem solucionar uma necessidade da sua Persona

Voltando a falar de persona, vamos falar um pouco sobre o que elas são e como montar um produto que vá de acordo com a necessidade da persona.

Quando se está pensando em montar um e-commerce, não há como fazer isso sem saber qual persona você quer atingir. Uma persona é a idealização do seu cliente, e ela deve ser feita após ter definido seu nicho e público-alvo.

Primeiro, vamos dar um exemplo de nicho: “Aparelhos eletrônicos”.

Este é um nicho bem aberto e pode ser especificado. Lembrando: quanto mais específico, mais fácil do seu cliente saber que está no lugar certo quando visita sua loja!

Estreitando então, decidi que minha loja será de “Notebooks e Computadores”.

Meu público-alvo serão os jovens que usam a internet para estudar, interagir com as pessoas na internet e se descontrair com jogos, filmes, séries, etc.

A partir daqui posso idealizar minha persona, que é uma idealização de um indivíduo dentro do meu público-alvo. Algo como “Gabriel, 18 anos, começou a faculdade este ano, está tendo aulas presenciais na faculdade 2 vezes por semana apenas devido a pandemia, precisa levar cadernos, canetas e vários outros acessórios para acompanhar as aulas. Se precisar fazer uma pesquisa, utiliza o celular, mas às vezes fica sem bateria. Também, vai para a casa da namorada depois das aulas e fica sem acesso ao computador enquanto está lá.”

Aqui, o empreendedor tem que usar sua experiência e enxergar a necessidade. Neste caso, Gabriel utiliza no mínimo 3 acessórios nos seus dias de aula presencial. Ele poderia fazer tudo isto através de um notebook. Além de facilitar as aulas, quando for para a casa de sua namorada, Gabriel poderá jogar com seus amigos, fazer pesquisas para sua tarefa, realizar trabalhos e muito mais sem ter que pedir um computador emprestado.

Este é um exemplo simplório, mas que demonstra a necessidade do empreendedor de:

5. Escolha uma Plataforma de E-Commerce Prática e Confiável

A plataforma de e-commerce que você investe não é responsável direto pelo sucesso das suas vendas, mas ela interfere bastante no processo. Facilidade de uso e aprendizagem, menus simples e intuitivos, completa possibilidade de personalização, inclusão de templates e extensões para lhe ajudar na manutenção da loja, etc. 

Todos estes são critérios cruciais que devem ser investigados na hora de escolher sua plataforma. Além deles, o porte da sua loja é outro critério importante: algumas plataformas oferecem softwares pesados, desenvolvidos para negócios complexos. Elas podem oferecer uma boa experiência para estes negócios, mas para um pequeno empreendedor será só muita dor de cabeça desnecessária (aprender novos softwares, demorar mais para lançar sua loja, funções que não serão utilizadas, etc.).

Por isso, decida se seu negócio será de grande porte e opte por softwares robustos, ou então escolha uma plataforma de criação de loja virtual voltada para o pequeno-médio empresário.

6. Aplique Estratégias de Marketing de Conteúdo

A grande moeda de troca da internet é o conteúdo, por isso, para montar um e-commerce de sucesso, deverá explorar as possibilidades. O foco do conteúdo mais valioso é sempre ensinar; enquanto seu público está aprendendo algo com você, ele irá prestar atenção, interagir e ajudar a divulgar seu trabalho. Já se ele não aprende, o melhor cenário é ignorar o seu trabalho.

As formas de mídias mais populares no momento são os artigos e vídeos, mas infográficos, e-books, podcasts e outros formatos também são extremamente válidos.

As plataformas que mais atraem pessoas para interagir com conteúdos são as redes sociais, os blogs e o YouTube. Você não precisa escolher apenas uma delas. Inclusive, o ideal é que você tenha contas profissionais em todas elas e as utilize de forma cruzada para levar o seu público de uma plataforma a outra. 

As grandes redes sociais do momento são o Instagram, o Facebook e o Pinterest. Este último para quem vende produtos relacionados à moda, design e artesanato é ainda mais interessante.

Planeje suas estratégias e ensine seu público sobre questões pertinentes do seu nicho. Assim eles perceberão que sua marca não está no mercado só para vender: eles irão aproveitar do seu conteúdo gratuito e, quando chegar a hora, buscarão por mais e mais, mesmo que ensinar não seja o foco da sua loja. 

Criar conteúdo sobre os seus produtos ajuda a agregar valor e educar seu público sobre como utilizá-los.

7. Invista em anúncios pagos

Marketing de conteúdo está altamente relacionado a SEO, o que leva esta estratégia a gerar resultados a médio e longo prazo. Agora, se quiser gerar resultados (facilmente rastreáveis) a curto prazo, é com anúncios patrocinados!

Para que seu marketing de conteúdo não dependa somente do SEO, invista nos anúncios das plataformas do Google, Google Ads e YouTube Ads. Sua marca em si também pode ser divulgada nestas plataformas. Caso esteja investindo em criar um blog, venda seu espaço para exibir anúncios de outras marcas também através do Google AdSense.

Outro conceito importante para trabalharmos aqui é o Omnichannel. Resumidamente, para uma marca atingir ainda mais relevância e presença digital, ela precisa estar presente no máximo de lugares possíveis. 

Estou falando sobre um dos espaços concorrentes aos e-commerces: os marketplaces. Para que sua loja seja (re)conhecida, você precisa de um site bem elaborado como mencionamos na seção de identidade visual, mas também é necessário estar presente em sites de vendas como a Amazon, o Mercado Livre, a Magalu, Lojas Americanas, etc. Não necessariamente todos eles, mas pelo menos um.

A verdade é que, apesar do imenso crescimento do e-commerce, as pessoas ainda acessam mais marketplaces do que e-commerces para fazer compras. Isto porque marketplaces são locais de venda de inúmeros produtos, e por isso são nomes que estão sempre na boca do povo.

Sua marca também deve estar presente nestes locais de venda. Assim há chances de você ser encontrado lá por clientes que jamais conheceriam sua marca sobre outras condições. Então, você deve trabalhar nos marketplaces para que as pessoas reconheçam sua marca quando comprarem com você, convertendo-as de lá para o seu e-commerce.

Em marketplaces os anúncios pagos são ainda mais poderosos, pois lá o SEO tem menos relevância. Portanto, procure fazer anúncios patrocinados pelos marketplaces para elevar suas vendas. 

8. Atualize-se às tendências do mercado

Um dia se está atualizado, no outro se está ultrapassado. É assim que funciona o mercado de estratégias de marketing e tecnologias. Mantenha-se sempre atento aos mais novos lançamentos e tendências do mercado, investigue o que seus competidores estão fazendo e acompanhe portais de notícias e blogs informativos. 

É com muito carinho que trazemos para você as mais atualizadas estratégias de marketing digital para que você possa aplicá-las em seu negócio. 

Aplique estas oito dicas e explore o crescimento do seu e-commerce ao máximo!

Sair da versão mobile