Site icon Nerd Pai

Por que os pais não são babás?

Jeremy Martin-Weber e sua esposa, Jessica, têm seis filhas de 5, 7, 9, 14, 16 e 18 anos. Eles tem um blog sobre suas experiências parentais, o Beyond Moi.

Pois bem, em 9 de maio, Jeremy postou uma foto de sua esposa no aeroporto em sua página no Facebook. Na legenda, ele explicou que Jessica estava prestes a sair da cidade em uma viagem de trabalho de vários dias, deixando-o sozinho com as crianças.

Na legenda, ele escreveu:

Jessica, a mãe de nossos 6 filhos, está embarcando em um avião. Ela irá para uma cidade em outro estado a trabalho e ficará por alguns dias. Então, quem irá fazer isso para eles?
 

  • Cozinhar e alimentar meus filhos
  • Levar para a escola a tempo
  • Escolher roupas para os nossos mais jovens a usar
  • Respeitar suas rotinas e ajudar a manter limites
  • Abraçá-los quando eles precisam de um abraço, e beijar suas contusões e machucados.
  • Confortá-los com seus pesadelos e ajudá-los a voltarem a dormir
  • Ajudá-los com os conflitos entre eles
  • Ouvir todos os pequenos detalhes que eles querem compartilhar sobre o seu dia
  • Ler uma história, incentivá-los a brincar lá fora ou jogar algo com eles
  • Apoiar e encorajar minhas filhas adolescentes com seus “problemas” femininos, e suas lutas de relacionamento
  • Modelar a bondade, amor, paciência, empatia, força, bravura e todas as coisas boas para eles.

Quem vai fazer tudo isso enquanto sua mãe estiver fora?

Eu. Apenas eu. Porque? Porque eu não sou a babá. Eu não sou apenas seus companheiros de brincadeiras.

Eu sou o pai deles e cuidar e guiá-los  é minha responsabilidade.
E eu adoro isso – com todos os seus desafios.

Não, a casa não vai desmoronar ou ser destruída e as crianças não serão sofrerão porque o pai está no comando. E, não, eu não mereço elogios e adoração de ninguém porque “UAU, este pai pode cuidar de seus próprios filhos”.

Eu só estou fazendo o que cada pai deve fazer, e o que as mães fazem todos os dias sem louvor ou adoração.

Basta que a mãe de nossos filhos e eu comuniquemos nosso apreço uns aos outros por todas as coisas que fazemos por nossa família.

É isso. Ser pai não é ser um ajudante. Ser pai é participar de toda a rotina da casa. É lavar um prato sem que a esposa peça. E se interessar pelo dia a dia dos seus Padawans. É fazer tudo isso e mais um pouco e não esperar medalhinha de Pai do Ano.

Isso é ser pai.

Como o Jeremy, espero que essa postagem incentive os pais a abraçarem a paternidade e espero que você, mãe, marque seu parceiro para que ele leia esse post e entendam que um pai presente é a uma das coisas mais importantes para os filhos.

Traduzido e adaptado do Huff Post

Sair da versão mobile