Site icon Nerd Pai

Rafinha Bastos e o mundo preto e branco

Discutindo meu post sobre palmadas com meu irmão, ele deixou nos comentários o seguinte:

“Permita-me sair um pouco do assunto, mas existe, atualmente, uma onda do “tudo muito politicamente correto” e no sentido de que tudo que era feito anteriormente era errado..

Poderia, aqui, dizer que as crianças atualmente só querem saber de video game, computador etc. e não brincam mais nas ruas, jogam bola etc., mas não vou cometer o mesmo erro “às avessas”, até porque você me mataria…hah

Enfim, mas o fato é que zuar (ou ser zuado) amigos na escola, levar umas palmadas, beber água da torneira etc. sempre fizeram e deverão continuar fazendo parte de nossas vidas e filhos…

Bem, novamente, colacionarei o texto do facebook, pois entendo que consegue resumir o que quero dizer:

“Se você cresceu comendo comida caseira, andava de bicicleta sem capacete, sua casa não era à prova de crianças, você tomava uma surra se se c…omportava mal, tinha uma TV com 3 canais e tinha que levantar para mudar ou para mexer na antena, você fazia o juramento à bandeira na escola, bebia água de torneira, sofria bulying na escola e saía NORMAL, cole isto em seu wall para mostrar que sobreviveu…”

Lembrei desse comentário lendo no Twitter as discussões sobre uma piada “racista” do @rafinhabastos. Sério, nem fui atrás da “tal piada” pois conheço o nível de humor que ele faz e não gosto nem um pouco! Mas creio que vivemos em um mundo estranho, que tudo que é dito pode ser crime.

Precisamos ter respeito com tudo e com todos. Respeitar crenças, etnias e opções sexuais. E, desde de cedo, irei ensinar ao Padawan que nosso mundo não é preto e nem branco. É cinza.

Fiquem com um vídeo do Michael Richards, o Cosmo Kramer de Seinfeld, e veja o que realmente pode ser racismo:

 

 

Sair da versão mobile